VALID Certificadora
19\12\2016

Utilizando o Canvas para ampliar o faturamento do seu escritório de contabilidade

Utilizando o Canvas para ampliar o faturamento do seu escritório de contabilidade

Mudanças têm ocorrido rapidamente em praticamente todas as áreas profissionais. Na contabilidade, surgiram ideias e tecnologias que aprimoraram o campo, como a escrituração eletrônica, os softwares de gestão fiscal e tributária e o Canvas — um método usado internacionalmente e que pode ajudar o seu escritório de contabilidade a faturar mais.

Saiba mais sobre o assunto neste post:

O que é o Canvas

O Canvas é um modelo de negócios, também chamado de “quadro de modelo de negócios” ou “business model canvas”. Ele contribui para inovar modelos de negócio, desde a origem do projeto de uma empresa mais nova até as empresas mais velhas existentes no mercado.

Para que o modelo funcione, é fundamental que os gestores pensem de maneira colaborativa, buscando, em grupo, soluções para superar os obstáculos.

As perguntas do Canvas

O Canvas, em sua aparência, é um quadro para visualização da estrutura da empresa e para planejamento. Toda a equipe terá noções sobre os processos de criação e inovação para alcançar com segurança os objetivos propostos.

A intenção é que, visualizando o quadro, os membros da equipe sejam capazes de ir desenvolvendo ideias na medida em que vão interpretando e tirando suas conclusões.

Existem 4 perguntas no quadro que devem ser respondidas com objetividade:

  • O que?
  • Quem? (ou “para quem?”)
  • Como?
  • Quanto?

Essas perguntas integram 9 blocos que receberão adesivos. Esses adesivos poderão ser acrescidos, removidos e colocados em outros lugares conforme as ideias vão surgindo e modificando.

O colaboracionismo e os 4 conceitos

Antes de analisarmos os 9 blocos, vamos analisar a importância da colaboração entre os participantes do Canvas. O colaboracionismo, que é um elemento essencial no Canvas, conduz à formação de 4 conceitos importantes:

  • pensamento visual (a visualização é um recurso relevante nesse modelo de negócios);
  • visão sistêmica (de todo o sistema, que é a empresa);
  • cocriação (criação compartilhada);
  • simplicidade e aplicabilidade.

Claro que é preciso associar o colaboracionismo às perguntas fundamentais do Canvas e aos 9 blocos para desenvolvermos os conceitos citados.

As áreas específicas

Apesar de ser bastante atraente, muitos profissionais de contabilidade poderão se questionar sobre a real eficácia desse modelo de negócio para aumentar o faturamento do escritório.

Um escritório de contabilidade pode seguir um dos caminhos abaixo:

  • atender qualquer cliente;
  • ser uma autoridade em uma área específica.

No 1º caso, o profissional terá uma quantidade maior de clientes, que buscam a prestação de serviços mais diversificados. Assim, não há um foco determinado. A receita pode ser bem maior, mas os investimentos do profissional também são mais altos e consomem boa parte do que foi faturado: ele precisa comprar materiais, fazer especializações, atualizar-se de formas diversas. Além disso, ele gasta muito tempo com essas coisas.

No 2º caso, o escritório poderá ter menos clientes, mas serão clientes interessados em uma área específica ou mesmo mais de uma área. A vantagem é que eles estão dispostos a pagar mais por esses serviços, e os custos de investimento para o profissional costumam ser mais equilibrados.

Para oferecer serviços que agreguem maior valor ao seu negócio, é preciso tornar-se autoridade em determinada área. O Canvas poderá direcionar você para qual área se tornar autoridade — ou, caso você já seja autoridade em alguma área, ele te orientará em qual outra área você poderá ter sucesso.

Os 9 blocos do Canvas

Vejamos agora os 9 blocos que integram o Canvas.

Infraestrutura

  • Atividades-chave: são as atividades mais importantes exercidas pela empresa;
  • recursos principais: são os recursos fundamentais para agregar valor para o cliente, podendo ser humanos, financeiros, físicos ou intelectuais (são considerados como ativos da empresa);
  • principais parcerias: parcerias com outras empresas que servem para complementar outros aspectos do negócio.

Oferta

  • Proposição de valor: são os serviços e produtos que a empresa oferece (essa proposição deve ser um diferencial para o negócio, incentivando os consumidores a comprarem da empresa e não de suas concorrentes).

Clientes

  • Segmentos de clientes: o público que consome os serviços/produtos da empresa;
  • relacionamento com clientes: trata-se do CRM, gerenciamento de relacionamento com o cliente;
  • canais: são as formas que a empresa utiliza para oferecer serviços/produtos ao cliente (nesse sentido, o marketing e os meios de distribuição são considerados canais).

Aspectos financeiros

  • Estrutura de custos: são os gastos que a empresa tem para manter seu negócio, oferecendo serviços/produtos aos clientes;
  • fontes de receita: correspondem ao faturamento da empresa, os meios através dos quais ela recebe dinheiro.

Dicas para preenchimento e uso do Canvas

Agora que você já viu o básico do Canvas, incluindo os 9 blocos, as 4 perguntas fundamentais que os integram e os 4 conceitos resultantes desses elementos com o espírito de colaboração dos membros da equipe, confira algumas dicas para preencher adequadamente e usar com sucesso o quadro do Canvas:

  • Use post-its, pois eles permitem a realocação das ideias, o acréscimo e o descarte de sugestões;
  • use cores e desenhos, pois o modelo de negócios Canvas é essencialmente visual (as cores e os desenhos ajudarão a entender melhor o que está exposto no quadro, a identificar o que é mais importante, a acompanhar a evolução do processo);
  • mantenha o quadro visível (ele deve estar situado em um local de fácil acesso e visibilidade, assim os membros poderão interagir com o modelo de maneira mais eficiente e ágil, sem dificuldades para a observação e consequente geração de ideias);
  • aplique técnicas de brainstorm, ou seja, dê liberdade para que todo expressem suas ideias da forma mais democrática possível, sem o receio de serem ridicularizadas ou excluídas (todos devem ter as mesmas oportunidades e, depois, as sugestões serão analisadas de forma crítica e aproveitadas, combinadas, postergadas, dependendo da situação do quadro);
  • procure em cada bloco desenvolver um modelo inovador, pois essa é uma das principais finalidades do Canvas;
  • não tenha medo de adicionar ideias, pois o Canvas consiste em uma reunião de ideias e hipóteses (o resultado final será produto desse conjunto de opiniões);
  • utilize versões virtuais caso ache melhor, pois como quase tudo possui uma réplica no mundo digital talvez seja até mais fácil e produtivo para o grupo interagir por meio dessa versão.

O que achou deste post? Deixe seu comentário! Para mais informações sobre gestão contábil, leia o nosso post “Contabilidade fiscal: 9 conselhos para uma gestão mais assertiva”. E não se esqueça de providenciar os certificados digitais que sejam necessários para o seu escritório de contabilidade.

Nenhum comentário | Comente

 

Os comentários estão encerrados.