Valid Certificadora Digital
18\03\2019

Conheça os principais desafios de TI para PMEs

Quais os desafios de TI em sua empresa? Atualmente, 98% das organizações brasileiras são PMEs. Responsáveis por 70% dos empregos do país, essas companhias são essenciais à atividade econômica nacional, o que justifica a preocupação coletiva com seus processos de modernização tecnológica. Em uma era de virtualização de operações, correções em tempo real e inteligência artificial, é impossível manter-se competitivo abdicando das tecnologias digitais.

Esse processo de transformação ocorre em diversas perspectivas: na escrituração contábil (com o SPED — Sistema Público de Escrituração Digital); na área jurídica (com as petições inseridas via Processo Judicial Eletrônico — PJe); no atendimento ao cliente (com robôs realizando atendimento junto ao call center tradicional).

Isso sem falar em entrega por drones e experimentação de produtos por realidade virtual. Não há tempo a perder: no “darwinismo” do mercado, apenas os mais adaptáveis sobreviverão. O que ocorreu com as fabricantes de máquinas de escrever com a chegada do PC? E com as videolocadoras, devido à popularização dos serviços de streaming de vídeo?

Os desafios de TI às PMEs são diversos e passam pela integração urgente de todos esses recursos com o menor custo possível. Vamos entender mais sobre isso? Continue a leitura e confira!

A TI na realidade das pequenas e médias empresas

Muitas organizações ainda insistem em atuar apenas no âmbito físico, sem interligação ao ambiente digital. Esse obsoletismo explica por que, segundo o Sebrae, 60% das organizações fecham as portas até o segundo ano de existência.

A simples tramitação de documentos com assinatura digital seria capaz de reduzir custos, elevar a produtividade e diminuir erros em processos. Exemplo: quanto tempo uma imobiliária demora para concluir o ciclo completo de assinatura dos contratos de locação?

A substituição da assinatura manuscrita pela certificação digital derrubaria drasticamente esse timing, evitando perda de negócios e liberando seu time para se dedicar à captação de novas oportunidades. Mas é preciso superar os desafios de TI, alguns dos quais veremos a seguir.

Desafios de TI para as PMEs

1. Definir uma estratégia

Antes de modernizar a infraestrutura de TI, é preciso diagnosticar quais são as falhas de processos internos, quais as necessidades de seu público-alvo e como sua organização fará da TI um instrumento de inovação, destacando-se em relação à concorrência.

Essas estratégias devem ser desenvolvidas para diversos aspectos da interação entre pessoas, processos e sistemas. Com relação à segurança da informação, por exemplo, é preciso pensar em um conjunto de ações integradas que garantam a proteção dos dados trafegados em múltiplas perspectivas.

Isso pode envolver estudo de iniciativas que vão da inserção de um protocolo de segurança que criptografe as informações trafegadas em seu site (Secure Socket Layer— SSL) a recursos de autenticação de usuários em aplicações web (substituição da vulnerabilidade dos logins/senhas por uma credencial confiável), além dos chamados “carimbos de tempo” (usados para comprovar o exato momento de um evento eletrônico, essenciais para atos que exijam tempestividade).

2. Aumentar a estabilidade de rede e sistemas

Manter sistemas e sites funcionando permanentemente é dos mais importantes desafios de TI às PMEs. Essa criticidade é ainda maior para empresas que trabalham no varejo eletrônico.

Em 2017, por exemplo, o portal E-Commerce News divulgou que, das 43 lojas monitoradas durante a Black Friday, 83,7% apresentaram instabilidade e 32% registraram problemas de timeout. Já dá para imaginar o tamanho do prejuízo, certo?

E o que dizer da perda de um dia inteiro de produção porque o software empresarial está indisponível?

Existem diversas estratégias para melhorar a performance de seus sistemas/aplicações. Uma delas é trocar sua banda larga por links dedicados. Quanto ao seu site, é possível limitar os requests simultâneos (espécie de controle de acessos que assegura estabilidade a quem já está navegando nas páginas).

Pode-se também usar uma CDN (Content Delivery Network), rede de servidores que aloca réplicas do conteúdo na memória e as entrega aos visitantes, reduzindo a pressão sobre a infraestrutura principal do e-commerce.

3. Investir em ferramentas e sistemas eficientes

Sua gestão em cloud computing se restringe ao armazenamento de arquivos? Já pensou na virtualização de servidores? Virtualizar servidores aumenta a disponibilidade de sistemas e reduz o tempo de resposta, dando mais eficiência aos seus procedimentos. Além disso, uma iniciativa desse porte diminui custos com compras/manutenção de hardware.

4. Fortalecer a segurança nos processos

Um dos principais desafios da TI para PMEs é incorporar novas tecnologias sem fragilizar a proteção de dados, o que significa ir além do antivírus. Um exemplo é ter um certificado SSL que permite ao e-commerce:

  • posicionar melhor sua página no Google;

     

  • reduzir as possibilidades de fraude.

     

Além da autenticação de um site, a certificação digital também é fundamental para tramitar documentos de forma inteiramente eletrônica, sem a necessidade de impressões e com muito mais segurança. A assinatura digital (via e-CPF ou e-CNPJ) é tão importante que existem obrigações contábeis que só podem ser realizadas com essa autenticação digital.

A partir de implementações em nuvem, da adoção de um ambiente paperless e do estímulo à mobilidade, há um oceano de inovações a serem trazidas à sua empresa. Quer conhecer algumas?

Tendências de TI para PMEs

Ferramentas e serviços autônomos

Drones para realização de entregas, robôs para otimizar o atendimento eletrônico ao consumidor, ferramentas inteligentes que conhecem o toque exato de cada peça na linha de montagem: a automatização de processos é um caminho sem volta, mesmo nas PMEs. Um dos desafios de TI é tornar mais acessível toda essa profusão de ferramentas.

A fusão entre Internet das Coisas (IoT), computação cognitiva e realidade virtual cria um complexo ecossistema de recursos que tende a minimizar custos e ampliar a produtividade. As organizações que insistirem em manter-se “analógicas” certamente terão dificuldades de competir no mercado.

Criptomoedas entre os meios de pagamento

Segundo a Forbes, existem atualmente no mercado mundial mais de mil versões de criptomoedas, aceitas por cerca de 11,5 mil estabelecimentos. No e-commerce, o pagamento em criptomoedas é uma tendência inevitável aos próximos anos, principalmente pelo seu poder de redução de fraudes em relação aos pagamentos por cartões.

A fraude de cobrança reversa é bastante comum no pagamento com cartões, e sua eliminação está entre os grandes desafios de TI. O cliente faz a compra, recebe o produto e contata a administradora para iniciar o processo de chargeback. Enquanto a empresa de cartões se debruça sobre a investigação, a loja on-line tem o valor da compra retido, algo especialmente ruim a empresas de pequeno/médio porte (com margem curta de fluxo de caixa).

No pagamento por criptomoeda, a compra é irreversível. Além das taxas de transação reduzidas e maior privacidade ao cliente, a venda via moeda virtual impede eventuais fraudes.

Experiências imersivas

Plataformas disruptivas, como as de realidade virtual/realidade aumentada, estão mudando a forma com a qual as pessoas interagem com o universo digital. Essa transformação na percepção dos objetos abre uma estrada larga para que empresas ofereçam novas experiências de usuário (mais imersivas), mesmo a distância.

Imagine ter uma imobiliária que dispense vistoria física, permitindo que o locatário assine laudos de vistoria com checagem da unidade via realidade aumentada? Imagine como uma loja online poderia proporcionar uma experiência mais completa ao exibir todos os seus produtos em realidade virtual?

Todas essas novas interações entre mundo real e digital estão entre as tendências de TI para o próximo ano.

Blockchain

Tecnologia que ameaça a existência dos grandes bancos e até dos cartórios extrajudiciais, o blockchain está, na hierarquia das inovações, acima da própria criptomoeda.

Trata-se de um grande banco de dados público, remoto e descentralizado, através do qual é possível realizar registros digitais variados. Cada arquivo ali guardado é datado e gera uma espécie de assinatura, apoiada em uma sequência alfanumérica.

A disseminação dessa cadeia de blocos tem utilizações diversas no mercado. Pode ser na substituição das validações cartorárias (saem carimbos, entram códigos digitais), na emissão limitada e rastreamento de obras com direitos autorais ou no fortalecimento da segurança bancária: blockchain é certamente das tendências de TI mais relevantes para o futuro.

Como você pode perceber, o alcance trazido pela conectividade não tardará a mudar a maneira como empresas fazem negócios. Em um mundo com fábricas inteligentes, impressoras 3D e sistemas autônomos, é urgente que as PMEs adaptem sua infraestrutura de TI para receber todos esses recursos.

Quer saber mais sobre desafios de TI, tendências de inovação e segurança digital? Siga-nos nas redes sociais e não seja mais o último a saber das principais novidades do mercado! Estamos no Twitter, Facebook, YouTube e LinkedIn!

O quanto este post foi útil para você?

Clique nas estrelas para avaliar!

Nota Média / 5. Contagem de Votos

Você achou este post útil...

Siga-nos nas redes sociais

Que pena que você não gostou.

Ajude-nos a melhorar o conteúdo do blog

Nenhum comentário | Comente

 

Os comentários estão encerrados.