VALID Certificadora

A terceirização do setor financeiro é adotada por muitas empresas que precisam ampliar o foco em atividades estratégicas, flexibilizar rotinas e reduzir custos. Esse serviço dá ao empreendimento a chave para otimizar as suas operações e ganhar competitividade, além de aumentar a qualidade dos serviços prestados pelos profissionais da área.

Porém, você sabe quais são as melhores estratégias para alcançar mais resultados ao investir em um serviço de gestão financeira terceirizada? Continue a leitura e descubra!

Contar com uma equipe alinhada com o perfil do negócio

Um dos pontos-chave para contratar um serviço terceirizado é buscar uma empresa que esteja alinhada com o perfil do seu negócio. Toda companhia tem suas características próprias. E, nesse cenário, escolher uma que saiba lidar com as suas necessidades será fundamental para obter o máximo de retorno sob o investimento.

Ao investir em uma gestão financeira terceirizada, avalie quais são as prioridades da prestadora do serviço. Identifique, por meio de certificados de qualidade e principais clientes, quais são as metodologias e padrões de trabalho em que a companhia apresenta maior conhecimento.

Dessa forma, você poderá garantir que os profissionais conseguirão adaptar-se rapidamente ao seu ambiente de trabalho.

Utilizar a tecnologia a seu favor

A tecnologia pode ter um papel de destaque em muitos serviços. Na gestão financeira terceirizada, ela abre portas para que a companhia possa manter as suas políticas tributárias com qualidade e segurança. Assim, o negócio evita riscos e mantém as suas informações restritas aos ambientes corretos.

Diante do uso, cada vez mais comum, de documentos em meios digitais, algumas estratégias devem ser tomadas para evitar que a contratação de um time de profissionais terceirizados possa colocar as políticas de gestão de documentos em risco.

Políticas de controle de acesso e monitoramento de recursos são apenas duas escolhas que o negócio pode fazer para gerar mais qualidade e confiabilidade aos processos corporativos. Além disso, a empresa pode investir em certificados digitais e assinaturas digitais.

Essas soluções trazem mais confiabilidade para os documentos corporativos (como notas fiscais e contratos eletrônicos) e os sistemas de comunicação interna. Protegidas por algoritmos modernos de criptografia, elas conseguem evitar ataques e tornam mais simples a detecção de fraudes.

Dessa forma, a companhia garante que os seus serviços continuarão a ser executados sem vulnerabilidades.

Manter atividades estratégicas internamente

Quando o negócio contrata uma equipe de gestão financeira terceirizada, uma série de processos passará a ser de responsabilidade da empresa contratada e, para muitos gestores, isso representa um risco de segurança.

Se a companhia contar com informações ou atividades estratégicas que não podem ser conhecidas por terceiros, uma boa escolha é mantê-las restritas aos times internos.

Fazendo essa escolha, o negócio pode manter os profissionais internos focados nas atividades estratégicas, e os terceirizados, em processos financeiros secundários.

Como consequência, a empresa terá mais foco nas rotinas que estão diretamente ligadas as suas receitas e, assim, aumentará a sua competitividade.

Ter um bom SLA

O SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível de Serviço, em português) é um documento que registra todas as normas, multas e metas de um serviço que é prestado por uma empresa. Justamente por isso, a sua formulação é um ponto-chave para garantir que a companhia terá um bom retorno sob o seu investimento na gestão financeira terceirizada.

Trabalhe para que o contrato de prestação de serviços seja claro e objetivo. Ele deve detalhar todas as metas de performance, multas por não cumprimento de demandas, prazos e outros fatores que influenciem na relação comercial.

Também é importante que ele tenha registrado a maneira e o intervalo de criação de relatórios de qualidade. Os relatórios precisam ser estruturados para que o gestor tenha uma visão abrangente sobre a qualidade dos serviços prestados e, assim, possa identificar se tudo está ocorrendo conforme o esperado.

É importante que o Acordo de Nível de Serviço seja conhecido por todos. Elabore a sua estruturação ao lado do prestador de serviços, busque pontos em comum e faça reavaliações dos termos. Dessa forma, você garantirá que o SLA sempre corresponderá às necessidades do negócio.

Planejar inicialmente tudo o que será terceirizado (e como esses processos ocorrerão)

O planejamento é crucial para que o negócio possa fazer a contratação de um serviço. Na área financeira, a sua importância é ainda maior, uma vez que essa é uma área crítica para as empresas.

Antes de escolher a companhia que será contratada, faça uma avaliação completa sobre as atividades do setor. Identifique pontos que precisam de melhorias, as necessidades de cada time, gargalos operacionais e outros fatores que estejam impactando negativamente nos resultados da empresa. Também faça uma avaliação sobre quais são os processos que devem ser mantidos.

A partir desses dados, você conseguirá identificar quais são as melhores rotinas a serem terceirizadas. A empresa também conseguirá definir uma rotina de migração para a nova forma de trabalho com menos problemas, uma vez que o negócio terá um mapeamento completo sobre as suas rotinas.

Assim, o retorno sobre o investimento é obtido rapidamente, uma vez que erros e riscos são evitados facilmente.

A busca por uma companhia também será otimizada. Sabendo de que tipo de serviço precisa, quais são as melhores metodologias e os pontos fracos da área, a empresa pode buscar um serviço de gestão financeira que esteja totalmente alinhado com as suas necessidades. Assim, o impacto positivo das atividades será muito maior.

A gestão financeira terceirizada pode trazer vários benefícios para as empresas. Custos são reduzidos, o negócio passa a focar mais nas suas atividades estratégicas e, consequentemente, a companhia consegue alcançar mais performance em médio e longo prazo.

Os processos fiscais passam a ser executados com um maior alinhamento com os padrões do mercado. Além disso, a empresa pode criar uma estrutura organizacional mais inteligente para o setor, reduzindo o número de conflitos, agilizando rotinas e melhorando o trabalho dos membros do time. Dessa forma, toda a companhia terá serviços mais inteligentes e competitivos.

E você, já pensou em investir na gestão financeira terceirizada? Se gostou deste post, compartilhe-o nas redes sociais.

Nenhum comentário | Comente
VALID Certificadora

É bastante comum pensar que a inovação nas empresas está relacionada apenas a companhias de tecnologia, pois é nesse ramo que surgem novidades relativas a computadores, celulares, softwares e outros produtos eletrônicos.

Porém, diferentemente do que muitos pensam, é possível aplicar inovações em organizações de qualquer ramo e tamanho, pois a informatização beneficiará os setores contábeis, financeiros, de logística, vendas e, até mesmo, o planejamento estratégico da companhia.

À primeira vista, pensa-se que o uso de tecnologia não tem ligação com planejamentos, porém, interligar esses temas será o elemento que garantirá o diferencial de sua companhia perante os concorrentes. Além disso, fazê-lo permitirá que outros colaboradores mentalizem inovações e melhorias em suas atividades.

Mesmo que você deseje implementar inovações nesse campo, o procedimento deve ser concebido de forma bem pensada e organizada, caso contrário, não terá o efeito esperado ou não serão aproveitados todos os seus benefícios.

Acompanhe a leitura deste artigo e entenda, de forma detalhada e clara, qual a importância das inovações nas empresas e, após, confira algumas dicas de como incentivar e implantar novas ideias!

Saiba a importância da inovação nas empresas no mercado

As empresas estão se tornando cada vez mais eficientes, criativas e otimizadas, o que deixa o mercado excepcionalmente competitivo e globalizado.

Gerir uma companhia de modo tradicional já não é mais suficiente para assegurar a sobrevivência em meio aos concorrentes. Por essa razão que a inovação se constitui como um elemento basilar para que a empresa se destaque no mercado e, até mesmo, lidere-o.

A inovação vai muito além da simples criação de novas tecnologias, serviços ou produtos. O tema envolve o surgimento de modelos de negócios revolucionários, novas formas de atender a necessidades dos clientes, criativos meios de reduzir burocracias e de estruturar o empreendimento.

Há diversos modos de inovar ou reinventar o planejamento e, a seguir, você encontrará quais são os caminhos mais benéficos para fazê-lo.

Tenha os OKRs de TI interligados ao restante da empresa

OKR, do inglês Objectives and Key Results, ou objetivos e resultados-chave, em português, consiste em um processo que define a cadência para a organização. Seu objetivo é fazer com que todos os setores da companhia andem na mesma direção, almejando as mesmas metas em um ritmo constante.

O termo “objetivos” se resume às descrições das diretrizes que serão alcançadas pela equipe, enquanto os “resultados-chave” são o conjunto de métricas que medem o progresso até que os resultados desejados sejam alcançados.

Conectar OKRs do departamento de Tecnologia e Informação – TI aos demais setores da companhia resultará no surgimento de sistemas inovadores ou no aprimoramento dos já existentes.

Um exemplo de objetivo de OKR do TI aplicado ao setor de vendas seria: implementar um sistema de cadastro de clientes e facilitar o processo de fidelização da clientela. Os seus resultados-chave consistiriam em:

  • desenvolver um novo sistema até junho;
  • realizar testes e integrá-lo ao departamento de vendas;
  • instruir vendedores a manusearem a novidade.

Percebe-se que essa é uma estratégia bastante benéfica para a companhia, pois a fidelização de clientes é um dos fatores mais importantes para aumentar a lucratividade do negócio.

Busque tecnologias que atendam à demanda

Com o desenvolvimento da companhia, surge uma nova gama de clientes e concorrentes, fazendo-se necessário adotar tecnologias que atendam à demanda e facilitem o trabalho dos colaboradores, como a digitalização de documentos, a realização de transações bancárias e os recolhimentos de impostos de forma on-line, bem como a utilização de notas fiscais eletrônicas, entre outras modernidades.

Porém, para que você seja capaz de usufruir dessas tecnologias, é preciso fazer uso da famosa certificação digital. Essa inovação consiste em um instrumento de identificação digital, que garante validade jurídica de todos os atos e documentos virtuais de forma econômica, fácil e segura.

Os certificados digitais são dispositivos compostos de arquiteturas matemáticas de impossível falsificação. Dessa forma, você pode assinar ou enviar documentos e realizar transações pela Internet sem preocupações, pois sabe que estará utilizando uma ferramenta completamente segura.

Promova a cultura de inovação

Um dos maiores obstáculos na implantação de inovações é, com certeza, a sua aceitação pelos administradores e funcionários. Muitos indivíduos ainda são excessivamente conservadores, não confiam nas tecnologias ou têm dificuldades em se adaptar ao uso dela.

Dessa forma, não basta impor as tecnologias sobre os envolvidos. Se a ideia da inovação não for incentivada, eles não se esforçarão para aprender a manuseá-la e aproveitar os seus benefícios.

Mas há ações que podem reverter essa situação, mudando a forma de pensar dos colaboradores e criando um ambiente favorável para sua implantação. Entre essas ações, estão:

  • buscar pela diversidade de perfis: pessoas distintas trazem diferentes ideias e visões sobre os negócios;
  • dedicar parte do expediente a projetos de inovação e empreendedorismo: desde que os assuntos sejam relacionados à empresa;
  • encorajar iniciativas: colaboradores podem ter ideias inovadoras e benéficas ao negócio;
  • tolerar erros nas tentativas de inovações: os envolvidos podem não acertar em seus projetos, porém eles devem ser incentivados a tentarem até alcançarem o sucesso;
  • reconhecer esforços: recompense as tentativas de inovar realizadas pelo colaborador.

Ouça e compartilhe ideias

Mesmo que você arquitete um projeto inovador, isolar-se em seus pensamentos não é o ideal a se fazer. É comum ter o receio de ter sua ideia copiada ou ser debochado por colegas de má-fé. Porém, compartilhar suas ideias faz parte da evolução da companhia e do seu desenvolvimento profissional.

Uma ideia pode parecer fascinante teoricamente, porém, ao se deparar com críticas construtivas que aperfeiçoarão sua estratégia, como também uma visão de fora, será possível identificar falhas e consertá-las de antemão. Procure colegas confiáveis e compartilhe suas ideias, assim, você poderá testar a viabilidade e a solidez de sua concepção no plano prático.

Com o tempo, você adquirirá confiança de sua equipe, fazendo com que ela também requisite sua opinião em seus projetos. Essa interação social é essencial para que os colaboradores percam o medo de inovar no planejamento estratégico de sua empresa.

Estruture um procedimento para inovações

Assim como qualquer outro procedimento da empresa, a inovação deve passar por um plano de etapas estruturado e organizado. Mesmo que a ideia seja genial e detenha todas as características para ser bem-sucedida, todo o projeto pode falhar por simples erros procedimentais, como mora, falta de verba ou mero esquecimento.

É recomendável que o fluxo de informações prossiga o seguinte percurso dentro da companhia:

  • transcrição de ideias no papel: é importante instruir os colaboradores para escreverem em um formulário seus projetos, expressando, de forma clara, seus conceitos;
  • seleção e aprovação de ideias: os administradores ou uma equipe responsável selecionarão quais opções aparentam ser mais prováveis de funcionarem;
  • preparação: estipula-se a verba necessária para colocar os projetos no plano real e define-se os responsáveis pela sua execução;
  • teste de conceito: realiza-se a simulação de cenários de quais seriam seus efeitos práticos;
  • produção de um protótipo: é importante testar as versões do produto;
  • lançamento: iniciar produção do produto criado ou colocar em prática o novo serviço.

Percebe-se que é necessário implantar diversas mudanças para que a inovação nas empresas alcance o planejamento estratégico. Mas, após a leitura deste artigo, você sabe exatamente o que fazer para tornar o ambiente propício a inovações!

Outra ideia bastante importante para qualquer empresa é o cuidado com o meio ambiente. Saiba, aqui, do que se trata a sustentabilidade empresarial e aprenda como implementá-la!

Nenhum comentário | Comente
VALID Certificadora

Um serviço contábil de qualidade precisa ir além do devido cumprimento das obrigações legais, funcionando também como um recurso estratégico para a empresa cliente, isto é, ele deve ser uma ferramenta importante para que os objetivos da companhia sejam alcançados. Para tanto, tão importante quanto contar com profissionais competentes e atualizados, é ter à disposição ferramentas de contabilidade capazes de dar a eles condições para atuar de maneira estratégica.

Mas o que seriam essas ferramentas? Preparamos uma lista com algumas das principais delas. Acompanhe e comece agora mesmo a sofisticar o seu trabalho.

1. Software de gestão

Com um software de gestão contábil, é possível controlar adequadamente os diferentes lançamentos contábeis, gerenciar relatórios e balancetes, planejar e executar orçamentos e realizar diversas outras ações.

O sistema permite que os procedimentos sejam feitos de maneira mais rápida sem que haja um aumento na incidência de erros, o que valoriza a qualidade do seu trabalho. Tudo de maneira segura. Com recursos como o de backup, é possível proteger as informações e diminuir riscos.

Além disso, esse tipo de ferramenta pode ser integrada a outros sistemas, permitindo que o contador gerencie suas diferentes contas e tenha acesso aos documentos de um único lugar, podendo compartilhar informações em tempo real.

Recursos assim facilitam o trabalho em equipe e dão ao cliente a possibilidade de acompanhar as atividades quando desejar.

2. Nuvem para armazenamento de documentos digitais

A Cloud Computing tem revolucionado o mercado nos últimos anos. Basta ver como essa novidade transformou a maneira como pessoas comuns se relacionam com diferentes tipos de documentos. Se antes era preciso tempo, espaço e dinheiro para realizar diferentes procedimentos, hoje isso pode ser feito de maneira simples, bastando enviar um arquivo do smartphone.

Nos mais diferentes segmentos, as soluções em nuvem apresentam facilidades para as empresas. Não é diferente no caso dos escritórios de contabilidade.

Isso porque, trabalhando com o armazenamento em nuvem, é possível ganhar tempo, encontrando os arquivos desejados como maior facilidade, reduzir os espaços, tornando o uso de armários e pastas físicas desnecessário e evitar custos. Isso porque, com os valores comumente gastos para adquirir essas ferramentas de armazenamento somados a tudo o que precisa para auxiliar nesse serviço, você pode investir em algo mais estratégico para o empreendimento.

3. Certificado digital

Estar na internet já não é sinônimo de estar presente em ambiente online. No mundo corporativo em especial, é necessário fazer uso de ferramentas que permitam que o espaço ocupado na rede seja realmente satisfatório. Nesse caso, o certificado digital é um recurso indispensável.

O Certificado Digital é um arquivo em formato eletrônico que substitui a assinatura, tendo validade jurídica que garante proteção aos diferentes tipos de operações em ambiente virtual. É ele quem garante a você atuar de maneira segura e totalmente compatível com as exigências dos tempos modernos.

O certificado digital oferece autenticidade, confidencialidade, integridade e segurança às informações trocadas no meio eletrônico. Dessa forma, ele pode simplificar a vida de quem usa a internet para realizar procedimentos como o envio de declarações empresariais, transações bancárias, assinaturas de notas fiscais e afins.

4. Gestão de tarefas

Uma ferramenta de gestão de tarefas permite ao profissional de contabilidade organizar melhor o seu dia a dia, reduzindo a quantidade de papeis ocupando o espaço de trabalho e garantindo meios para não se perder em meio à correria.

Com esse recurso, é possível ter uma visão ampla a respeito das diferentes tarefas a serem realizadas pelo escritório, bem como conhecer os compromissos de cada colaborador.

Além disso, com relatórios, a produtividade pode ser mensurada de maneira mais adequada, trazendo benefícios para a organização em termos de resultados. Isso sem falar na possibilidade de priorizar tarefas mais importantes e trabalhar em ambiente virtual. Esse pode ser o recurso que você precisa para organizar melhor o seu dia a dia e lidar com as rotinas contábeis.

5. Sistemas de cobrança

Se você costuma ter problemas na hora de fazer cobranças, saiba que não está sozinho. Essa é uma etapa bastante difícil dentro de qualquer negócio. Mas também para este caso, existe a solução: trabalhando com sistemas de cobrança automática é possível ter uma ferramenta que, ao mesmo tempo em que atua na diminuição da inadimplência, também impede que você tenha maiores preocupações e se desgaste diante de clientes.

Esses sistemas geram as notas e emitem os boletos de maneira automática, controlando diretamente os pagamentos realizados e enviando avisos caso os clientes não tenham honrado os seus compromissos dentro do prazo.

Caso o seu escritório trabalhe com datas de vencimento diferentes, esse recurso pode ser o que você precisa para estar sempre seguro de que os depósitos feitos serão conferidos, garantindo que a situação dos consumidores esteja regularizada.

6. Ferramentas de comunicação

Uma boa comunicação faz a diferença dentro de qualquer organização. É preciso garantir meios para que uma simples mensagem que envolva duas pessoas não represente uma dor de cabeça desnecessária para os interesses do escritório de contabilidade.

Sendo assim, ir em busca de soluções nesse sentido, visando simplificar a comunicação tanto dentro quanto fora do escritório contábil é algo que precisa ser considerado.

Que tal fazer da comunicação interna um diferencial do seu escritório? Existem softwares que agilizam esse processo, seja facilitando a comunicação entre funcionários de um mesmo escritório, seja envolvendo contadores e clientes.

Criando canais internos entre duas ou mais pessoas, esses programas tornam possível a transmissão de documentos de maneira mais rápida e menos burocrática. Quando o cliente perceber que os procedimentos realizados pelo seu escritório são marcados pela agilidade e eficiência, eles passarão a confiar mais nos seus serviços.

Em resumo, ter à sua disposição ferramentas de contabilidade capazes de aperfeiçoar os diferentes processos do dia a dia, elevará o seu escritório de patamar. Por isso, não deixe de considerar as dicas valiosas aqui apresentadas e comece a tornar o seu trabalho mais qualificado.

Agora que você já sabe mais sobre ferramentas de contabilidade, não deixe de conferir outro assunto de extrema importância para um escritório de contabilidade: como a administração do tempo pode auxiliar a sua empresa.

Nenhum comentário | Comente
VALID Certificadora

A emissão de notas fiscais faz parte do dia a dia de qualquer pessoa que lida com a prestação de serviços e a venda de mercadorias. Com o auxílio de um certificado digital, empresas e microempreendedores possuem um meio simples de registrar as suas operações, recolher impostos, acompanhar a venda de produtos e manter uma rotina fiscal organizada.

Justamente por isso, conhecer os tipos de notas fiscais eletrônicas e documentos fiscais existentes é importante. Sabendo disso, a empresa pode manter-se organizada, evitar erros e ter uma rotina mais ágil e precisa. Além disso, consumidores terão mecanismos para acompanhar a validação dos dados e evitar fraudes.

Quer saber mais e conhecer os tipos de documentos e notas fiscais existentes? Então veja o nosso post de hoje!

1. NF-e

A nota fiscal eletrônica é um documento digital, emitido e armazenado em meios eletrônicos que foi criado para substituir os modelos 1 e 1A. Ele auxilia negócios e consumidores a documentar uma operação de circulação de mercadorias ou prestação de serviços. Em outras palavras, ela é a versão digitalizada de uma nota fiscal impressa e é capaz de substituir o uso tradicional.

A validade da NF-e é garantida pelo seu certificado digital. Em alguns estados, é obrigatório o uso da mesma no caso da venda de produtos. Já alguns municípios podem exigir a nota fiscal eletrônica após a prestação de serviços. Portanto, o empreendedor deve estar atento à necessidade de emitir tais documentos para manter-se em dia com as suas obrigações fiscais.

O uso da nota fiscal eletrônica pode trazer uma série de vantagens ao empreendedor. A empresa economizará recursos, diminuirá a burocracia ao emitir documentos fiscais e terá uma forma mais ágil para consultar os seus dados de venda. Não será necessário imprimir comprovantes e o armazenamento será feito apenas em meios digitais, tornando a gestão das informações fiscais mas prática e simples.

2. CT-e

O CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) é um documento fiscal utilizado para o transporte de cargas. Ele é valido no envio de mercadorias por meios aéreos, ferroviários, fluviais e rodoviários.

A CT-E foi criada para diminuir os problemas durante o transporte de mercadorias entre o remetente e o destinatário. Graças a elas, erros tornaram-se menos frequentes, a burocracia foi diminuída e o processo de envio de cargas tornou-se mais ágil. Hoje, ela já substitui as notas fiscais dos modelos 7, 8, 9, 10, 11 e 27.

3. NFS-e

A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (ou apenas NFS-e) é utilizada para comprovar a prestação de serviços para uma empresa ou pessoa física. A sua criação foi realizada para substituir a emissão da Declaração de Serviço, que era exigida pelos municípios em todo o Brasil.

A emissão da NFS-E é feita junto à prefeitura em que o CNPJ do prestador de serviços está registrado. Isso ocorre independentemente do local em que o tomador de serviços encontra-se.

Grande parte das empresas brasileiras de pequeno e médio porte devem emitir a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Além disso, ela também é utilizada por MEIs (Microempreendedores Individuais Ela está atrelada principalmente ao recolhimento de impostos municipais, como o Imposto sobre Serviços Prestados (ISS).

4. NFC-e

A Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica é um documento criado para substituir dois tipos de documentos fiscais. A Nota fiscal de venda ao consumidor (modelo 2) e o cupom fiscal, que é emitido por uma impressora ECF. Ela não deve ser confundida com a NF-e de produtos e mercadorias, apesar das duas serem semelhantes.

A emissão da NFC-e é mais comum no varejo e no comércio. Ela é emitida, em geral, por locais como supermercados, farmácias, bares, açougues e restaurantes.

A sua principal vantagem está na digitalização dos processos de emissão do cupom fiscal. Essa rotina é executada com uma comunicação direta com a Secretaria da Fazenda local, evitando fraudes e permitindo que o cliente documente os dados automaticamente.

Assim como a DANFE, a NFC-e deve ser impressa no momento da venda do produto. O documento deve conter a chave de acesso e o QR Code, permitindo que o consumidor possa validar a qualquer momento a integridade do documento fiscal com o auxílio da internet.

5. DANF-e

Sigla para Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica, o DANF-e é uma versão simplificada da nota fiscal eletrônica. Ela é enviada junto com a mercadoria durante o processo de entrega do produto e possui todas as informações básicas sobre o item (dados como o emitente, o destinatário, valor da mercadoria e impostos recolhidos).

A DANF-e também contém uma chave de acesso, que permite a qualquer pessoa acessar os dados completos da nota fiscal eletrônica online. Além disso, as informações contidas no Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica auxiliam profissionais a realizar a escrituração das operações que são documentadas pela NF-e e podem substituir as notas fiscais em compensações de crédito.

6. Darf

O Darf (Documento DE Arrecadação de Receitas Federais) é um documento utilizado para o pagamento de débitos de caráter não previdenciário que estejam inscritos na Dívida Ativa da União. Ele é utilizado para pagamento de valores parcelados e, conforme a Lei 11.941/2009, para o pagamento de débitos previdenciários que estejam inscritos em DAU.

O Darf pode ser de dois tipos:

– Darf Comum

Esse é o principal documento utilizado para a arrecadação de tributos de pessoas físicas e jurídicas. Em geral, o DARF comum é utilizado para o pagamento de impostos como o PIS sobre o faturamento do negócio e impostos de importação para produtos que sejam trazidos do exterior.

– DARF Simples

O Darf Simples entrou em desuso com a Lei Complementar 139/2011. Ele era utilizado por pessoas físicas para o recolhimento de impostos unificados, como ICMS, PIS/PASEP, Cofins e IPI. Atualmente, ele é chamado de DAS (Documento de Arrecadação Simples).

Independentemente do tipo de nota fiscal emitida pelo seu negócio, o uso de um certificado digital é crucial. Ele torna o documento mais seguro e traz mais integridade para as notas emitidas pelo empreendimento. E em alguns casos, o seu uso é obrigatório, portanto, esteja atento!

Agora que você conhece todos os tipos de notas fiscais, conta pra gente qual deles é o mais adequado para o seu dia a dia!

Nenhum comentário | Comente
VALID Certificadora

O investimento em segurança digital é a base da criação de qualquer ferramenta digital. Isso vale, inclusive, para as que estão hospedadas na web. E, para atingir esse objetivo, uma série de mecanismos podem ser utilizados.

Um deles é o protocolo SSL. Ele garante que um servidor possa comunicar-se com o dispositivo do visitante sem que terceiros tenham acesso ao conteúdo. Porém, o processo de configuração, muitas vezes, consome uma grande quantidade de recursos.

Para evitar que isso comprometa a experiência do usuário, surge o acelerador SSL. Se você quiser saber mais sobre essas soluções e como elas podem ser utilizadas para tornar a sua página web mais confiável e robusta, veja o nosso post de hoje!

O que é o protocolo SSL

Também conhecido pela sigla TLS (Transport Layer Security, ou Camada de Segurança de Transporte, em uma tradução livre), o SSL (sigla para Secure Sockets Layer, ou Camada de Soquetes de Segurança, em português) é um protocolo de segurança utilizado para criptografar o tráfego entre dois dispositivos web. Além disso, ele tem uma estrutura que permite a autenticação com segurança de um site. Isso evita que páginas fraudulentas sejam confundidas como páginas legítimas.

O protocolo SSL utiliza um algoritmo baseado no método de criptografia RSA para manter dados protegidos contra ataques de terceiros. Essa técnica utiliza duas chaves de criptografia que, em função da sua estrutura, são virtualmente impossíveis de serem fraudadas.

A chave privada é de conhecimento apenas de quem recebe a mensagem. Ela é utilizada para descriptografar os dados.

Já a chave pública pode ser compartilhada entre todos os envolvidos no envio dos dados. Por meio dela, qualquer pessoa pode criptografar uma informação antes de enviá-la para outro usuário, sistema ou dispositivo.

Ambas as chaves funcionam em conjunto nas operações de criptografia e descriptografia de informações. A chave privada e a chave pública são, em outras palavras, matematicamente conectadas a si mesmas e a nenhum outro par de chaves. Essa estrutura é fundamental para que um site possa comunicar-se com vários visitantes por meio do protocolo SSL sem ter que criar uma chave de criptografia para cada um. Isso mantém as transferências de informações mais seguras e confiáveis.

Como o acelerador SSL funciona

O uso do protocolo SSL pode consumir muitos recursos do servidor. E, para evitar que isso cause a sobrecarga da máquina em momentos de alta demanda, empresas investem em um acelerador SSL. Assim, é possível direcionar mais recursos para o usuário e manter o site e os serviços web do negócio seguros.

O acelerador SSL é utilizado no momento em que o cliente estabelece uma conexão com o servidor. Essa é a hora em que o algoritmo RSA é utilizado para configurar uma chave única para o visitante. Nesse momento, ambos os dispositivos envolvidos na troca de dados deve concordar com uma série de parâmetros para que a conexão seja estabelecida com segurança.

Alguns aceleradores SSL funcionam como um hardware específico que é acoplado ao servidor. Ele será responsável por todo o trabalho de criptografia e descriptografia de dados, permitindo que o servidor foque a sua capacidade de trabalho em outras rotinas.

Algumas soluções funcionam totalmente via software. Nesse caso, elas ficam localizadas em uma interface de virtual da infraestrutura de rede de tal forma que o tráfego passa pelo acelerador antes de chegar no site. Assim como no outro caso, a aceleração é projetada para criar uma experiência de uso uniforme para o usuário. Ou seja, não devem existir indícios durante o acesso de que uma solução adicional é responsável pelos processos de segurança da conexão.

O papel do acelerador SSL será executar parte das rotinas de configuração, direcionando para o servidor aquelas que envolvem rotinas de criptografia que demandam menos recursos. Alguns aceleradores podem lidar com todas as rotinas de criptografia e descriptografia de dados. Nesse caso, o servidor da loja virtual trabalhará apenas com os conteúdos já descriptografados.

O investimento em um acelerador SSL deve ser acompanhado de outras estratégias para manter a página web segura e confiável. A empresa pode adotar o backup de dados, por exemplo, para evitar a perda de informações.

Caso o negócio envie e receba documentos por meio das suas páginas web, é importante ter um certificado digital. Ele garante que todos os arquivos distribuídos pelo negócio terão um nível maior de integridade, por ser um mecanismo que facilita a validação da identidade de quem envia e recebe informações pela web.

Além disso, regras de controle de acesso podem ser criadas para quem tem acesso à infraestrutura interna da página. Dessa forma, se uma conta for comprometida, o impacto é reduzido gradativamente.

Além disso, o negócio pode utilizar mecanismos de autenticação modernos, como a autenticação de dois passos. Junto com o uso de senhas complexas, eles reduzem as chances de contas serem invadidas por métodos de roubo e quebra de senhas tradicionais.

Quais os maiores benefícios do investimento em um acelerador SSL

O maior benefício do uso de um acelerador SSL está na possibilidade de manter uma página de vendas segura sem comprometer a experiência do usuário. Para empresas que necessitam da internet para realizar vendas, esse é um fator crítico, uma vez que o tempo que um usuário precisa para realizar uma compra é um ponto que pode ocasionar a perda de muitas vendas.

Se a página demorar para carregar conteúdos ou apresentar erros contínuos em função da alta carga de trabalho de um servidor, as chances de o cliente desistir de comprar um produto crescem rapidamente. Mas, com o acelerador SSL, a empresa pode garantir que todas as verificações necessárias para estabelecer uma conexão com o dispositivo do usuário (e, assim, enviar e receber dados de cartões de crédito, CPF e outras informações confidenciais sem problemas) sejam executadas sem que ocorra uma queda na qualidade do acesso.

Além disso, a segurança é mantida em todas as trocas de informações. Isso evitará o roubo de dados de consumidores, trará mais confiabilidade para as páginas web da companhia e, como consequência, tornará os seus serviços web mais robustos e competitivos.

Em outras palavras, a adoção do acelerador SSL é um investimento estratégico. Ele permite que a companhia mantenha o seu site e os seus serviços web mais seguros e confiáveis. Dessa forma, é possível garantir que as conexões sejam mantidas com alto nível de confiabilidade, mesmo em momentos de alta demanda.

Ficou interessado no certificado digital e quer saber como ele pode ser utilizado no seu negócio? Confira tudo sobre essa ferramenta em nosso blog!

Nenhum comentário | Comente