VALID Certificadora
29\11\2018

Tecnologia na gestão hospitalar: saiba como otimizar processos

Tecnologia na gestão hospitalar: saiba como otimizar processos

O uso da tecnologia na gestão hospitalar pode trazer vários benefícios para as empresas que atuam no ramo. Ela auxilia profissionais a garantirem um atendimento ágil e livre de atrasos. Além disso, erros tornam-se menos frequentes, o que reduz prejuízos.

Para pacientes, a tecnologia pode tornar o atendimento médico mais inteligente e humanizado. Profissionais de saúde terão mais mecanismos para lidar com as demandas de cada tratamento, encontrar diagnósticos e acompanhar a evolução de um processo. Dessa forma, os índices de sucesso são ampliados e o hospital evita uma série de problemas.

Quer saber mais sobre o tema e quais são as 7 melhores formas de integrar a tecnologia na gestão hospitalar? Então, confira o nosso post de hoje!

1. Adote sistemas de gestão integrada

Os sistemas de gestão integrada auxiliam instituições de saúde a terem os processos de gerenciamento e o armazenamento de informações centralizados. A longo prazo, isso torna-se crucial para evitar erros, otimizar rotinas e garantir que todos possam atuar da melhor maneira possível. Além disso, recursos são mais bem utilizados e processos ganham agilidade, o que melhorará o atendimento em todas as áreas.

Para profissionais de gestão, a implementação dessa ferramenta facilita a identificação de erros e outros fatores que possam comprometer o sucesso das iniciativas internas. Quem atua na administração de compras de matéria prima, por exemplo, consegue criar um histórico detalhado sobre o uso de cada item, otimizando a compra de mercadorias e reduzindo custos. Em outras palavras, a instituição conseguirá maximizar o aproveitamento dos recursos disponíveis, diminuindo gastos e planejando-se com alta precisão.

2. Utilize aplicativos para otimizar o controle de consultas

Atrasos em consultas são um grande problema para instituições de saúde. Eles prejudicam a rotina de pacientes e podem gerar prejuízos para a organização. Para evitar esse cenário, o investimento em tecnologia pode ter um papel chave.

As ferramentas para gestão de consultas podem ser integradas a computadores, smartphones e outros dispositivos. Dessa forma, médicos e pacientes conseguem acompanhar o horário de cada consulta em tempo real. Assim, em caso de mudanças, todos são notificados automaticamente.

Outro ponto importante é a possibilidade de criar um banco de dados preciso sobre todo o fluxo de atendimento de cada consultório. Com esses dados, a instituição de saúde conseguirá avaliar quais são os dias com maior carga de trabalho e outros pontos que podem impactar no fluxo de atendimento.

3. Tenha aplicativos para gerenciar o fluxo de trabalho de cada time

A rotina de um hospital é complexa. Diariamente, pacientes com uma série de doenças e tratamentos passam por exames, consultas e outros processos que envolvem profissionais de várias áreas. E assim como profissionais podem utilizar a tecnologia para melhorar o fluxo de atendimento, ferramentas de TI também podem ser adotadas para que gestores consigam controlar a rotina de cada equipe com precisão.

Por meio do apoio de ferramentas de distribuição de tarefas, a tecnologia pode ser utilizada na gestão hospitalar para melhorar a rotina de todas as áreas. Os líderes de equipes conseguirão gerenciar atividades de forma centralizada, acompanhando a evolução de uma atividade em um ambiente unificado. Dessa maneira, atrasos tornam-se menos frequentes e o planejamento como um todo é otimizado.

4. Faça um uso estratégico do Big Data

O Big Data tem causado um grande impacto em ambientes corporativos. No meio hospitalar, não é diferente. Essa tecnologia pode colocar a análise de dados no centro das rotinas de uma instituição hospitalar, ampliando a maneira como gestores conseguem otimizar os seus processos e gerar mais inovação.

A análise de dados por meio do Big Data permite que um grande número de informações seja integrada para identificar padrões, erros e outros fatores que possam contribuir para otimizar rotinas. Unificando informações estruturadas, não estruturadas e coletadas em tempo real, o uso da tecnologia na gestão hospitalar passa a ter um papel estratégico, contribuindo para que tratamentos e processos administrativos sejam mais eficazes e inovadores.

5. Tenha a Internet das Coisas integrada ao seu dia a dia

No ambiente hospitalar, a Internet das Coisas pode ter um grande impacto. O uso de sensores inteligentes maximiza a qualidade do uso de recursos, evita erros e aumenta a capacidade de médicos acompanharem a evolução do tratamento de um paciente.

Os sensores de atividade física, por exemplo, podem ser integrados a pequenos aparelhos, como relógios e pulseiras inteligentes. Desse modo, médicos conseguem obter um histórico detalhado sobre uma série de pontos de atenção de um paciente (como o batimento cardíaco e a variação dos níveis de estresse) em tempo real.

Já sensores de presença podem ser conectados a sistemas de refrigeração para que o controle de temperatura de um ambiente seja mais eficaz. Ajustando automaticamente a temperatura de um local, essa ferramenta torna ambientes mais agradáveis e reduz o uso de energia. Assim, a instituição de saúde pode eliminar desperdícios e criar um ambiente mais agradável para pacientes.

6. Implemente a certificação digital

Conforme empresas passam a integrar a tecnologia na gestão hospitalar, o uso de documentos online torna-se mais frequente. E, nesse cenário, a certificação digital será crucial para garantir validade jurídica a todos os documentos criados pela instituição e distribuídos em meios digitais.

Os certificados digitais são ferramentas utilizadas para autenticar digitalmente documentos. Eles contêm dados sobre o emissor (uma Autoridade Certificadora vinculada ao ITI — Instituto Nacional de Tecnologia da Informação), o criador do documento e uma série de mecanismos de segurança para prevenir fraudes. Dessa forma, a instituição poderá criar e manter contratos, protocolos e outros documentos administrativos em meios virtuais com segurança e confiabilidade.

Um ponto importante está na desburocratização de processos. A certificação digital diminui etapas da criação de documentos, dando mais agilidade para os profissionais de gestão.

Esses fatores causarão um impacto em uma série de pontos do atendimento hospitalar. Haverá economia de recursos, uma vez que o número de documentos impressos cairá. A confiabilidade das informações também será maior, visto que políticas de backup poderão ser integradas para criar cópias de arquivos. Além disso, médico e paciente terão mais segurança no seu dia a dia.

Você tem outra estratégia para integrar a tecnologia na gestão hospitalar? Compartilhe este post em suas redes sociais com a sua resposta!

Nenhum comentário | Comente

 

Os comentários estão encerrados.