VALID Certificadora
13\03\2018

Disclosure na contabilidade: a relação com a transparência corporativa

Pelas informações tratadas na contabilidade, a escrituração demonstra todas as movimentações econômico-financeiras e patrimoniais de uma empresa. Portanto, ela requer muita transparência na elaboração, no fechamento e na divulgação.

Para isso, o disclosure na contabilidade surge como prática que vai ao encontro da transparência corporativa. Em suma, o termo significa o ato de divulgar publicamente os dados contábeis para uso dos interessados na corporação.

Entenda neste post a relação entre disclosure e transparência na governança corporativa, quais são os principais elementos de divulgação e como ela deve ser feita.

A governança corporativa

Esse conceito de gestão remete a eficiência e transparência, tendo como pilares — além da própria transparência — a equidade de participação dos interessados na empresa, a prestação de contas financeiras em relação aos atos administrativos e a responsabilidade corporativa em relação à sociedade.

Entre tantas utilidades, os pilares da governança corporativa servem para avaliar os riscos de um negócio e o retorno que ele pode gerar sobre investimentos. Então, quanto melhor é a governança de uma organização, mais preparada ela está — teoricamente — para receber capital.

A relação entre transparência corporativa e disclosure

Como um dos pilares da governança corporativa, o objetivo da transparência é manter a ética no fornecimento de informações importantes a gestores, empregados, financiadores, investidores, fornecedores, acionistas e demais agentes para os quais as informações contábeis de uma corporação possam interessar.

Então, por meio dos dados disponibilizados, esses agentes podem avaliar a condução dos negócios, a performance da empresa, suas contas, seus aspectos mais segmentados e podem tomar decisões bem embasadas em relação à organização divulgadora. Por exemplo, um investidor interessado que perceba pouca lucratividade acumulada pode decidir por frear suas ações e proteger seu capital.

Ou seja, como ato de fornecer as informações contábeis relevantes, tanto positivas quanto negativas, o disclosure garante a transparência de dados e publicações da corporação.

Os principais componentes do disclosure na contabilidade

O conceito abrange todos os dados das demonstrações contábeis. Porém, alguns se destacam como principais frente aos agentes usuários das informações, que abordamos anteriormente.

Algumas exposições, como você poderá ver, não cabem nos demonstrativos — apenas numéricos. Porém, para esses casos, as notas explicativas dão apoio aos esclarecimentos necessários.

Dados do ambiente de negócios

Aqui estão quesitos como fatores de oportunidades e riscos empresariais. Por exemplo, a empresa pode ter um risco de crédito considerável caso grande parte dos recebíveis dependa de apenas um cliente. Então, o fato é evidenciado em seus números e explicado mais a fundo em nota, que pode inclusive conter a estratégia praticada para controle ou diminuição de tal risco.

Dados das operações

As informações operacionais podem conter dados acerca das vendas em geral mas também por segmentos, esclarecendo quais atividades da empresa geraram os melhores resultados e quais mais evoluíram em relação a períodos anteriores.

Dados estratégicos

Os dados estratégicos informam os usuários sobre os valores que atuam como fatores de crescimento empresarial, como reinvestimento de lucros, recebimento de aporte financeiro e investimento em pesquisa e desenvolvimento.

Dados financeiros

As finanças englobam questões simples como o fluxo de caixa e custos de produtos ou serviços, mas também podem demonstrar informações como o valor de mercado da empresa. Para isso, além de utilizar dados diversos — geração de caixa, riscos do negócio, patrimônio — a corporação divulgadora também precisa das notas explicativas.

Índices financeiros

Os índices podem ser separados dos dados financeiros porque não são utilizados para visualização de resultados finais, mas sim para medição de performance de aspectos diversos.

Por meio deles é possível mensurar a lucratividade das operações e o nível de endividamento da empresa, por exemplo, e identificar se são satisfatórios, se atingiram as metas propostas e se houve evolução. Aqui, as notas explicativas também podem auxiliar no esclarecimento e nas projeções.

Dados da governança corporativa

Como a governança corporativa trata do andamento da empresa pelo relacionamento transparente entre sócios, conselhos, diretorias e demais pessoas e grupos gestores, esses dados dizem respeito a informações como de acionistas, investidores e remuneração de auditores, administradores e diretores.

As regras internacionais do disclosure

Para que o disclosure na contabilidade seja feito corretamente, precisa atender à IAS número 5. Esse pronunciamento — feito pela International Accounting Standards Board (IASB), que significa Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade — dita as características que o fornecimento público dos dados contábeis deve ter.

Comparabilidade

As informações devem deixar claras as mutações patrimoniais e econômico-financeiras ocorridas na corporação, pois comparar dados de períodos diferentes pode ser necessário para agentes internos ou externos tomarem decisões de negócios ou decisões financeiras em relação à organização e seus interesses.

Materialidade

Essa característica diz respeito aos valores que constam nas demonstrações. Eles não podem ter omissões ou distorções, fatores com potencial de influenciar as decisões dos usuários.

Essência das movimentações acima da forma delas

Independentemente de como as demonstrações sejam expostas — desde que formatadas de forma compreensível —, as informações devem fazer com que os usuários consigam reconhecer os fatos apresentados e entendê-los.

Fidelidade de representação

De acordo com a IAS número 5, as informações devem ser fiéis à realidade corporativa para não induzir os avaliadores delas a erros e decisões contrárias às suas vontades. Para isso, as notas explicativas são obrigatórias quando os números não possibilitam entendimento total dos fatos.

Compreensibilidade

As demonstrações devem ser expostas de forma a serem facilmente compreendidas por interessados que tenham nível pelo menos mediano de conhecimento em finanças e na área de atuação da corporação.

Pertinência

Os dados devem ser pertinentes, relevantes para os motivos pelos quais os usuários os analisam — tomar decisões econômico-financeiras e de negócios.

Neutralidade

Os dados devem servir de apoio à tomada de decisões, mas não devem induzir quem os avalia a determinada decisão, principalmente por alteração de informações impropriamente para esse fim.

O disclosure na contabilidade é importante. Mas existem outras ações que não podem ser descartadas e também contribuem para que as empresas sejam bem gerenciadas e analisadas financeiramente. Quer conhecê-las? Leia 7 dicas para otimizar a gestão empresarial e fazer a melhor análise financeira da organização.

Notícias relacionadas:

Nenhum comentário | Comente

 

Os comentários estão encerrados.