VALID
01\08\2017

7 indicadores de performance para ficar de olho no setor de TI

7 indicadores de performance para ficar de olho no setor de TI

Medir os resultados de uma empresa nem sempre é tão simples quanto parece, principalmente quando os números estão negativos. Com o desempenho abaixo do esperado, muitos empreendedores acabam aplicando mais esforços nas operações do que propriamente na gestão.

Isso significa que uma série de análises importantes deixam de ser realizadas, inviabilizando um diagnóstico real da saúde da empresa.

Mas nem sempre ter números nas mãos significa que seja possível realizar um diagnóstico. É preciso que os dados sejam transformados em informações para uma posterior avaliação se eles são bons ou não, afinal, como diz o jargão, “quem não mede, não gere”.

O papel da tecnologia

Com a tecnologia e seu dinamismo, novos processos, tendências e recursos passaram a requerer maior responsabilidade da gestão de TI, de forma a garantir segurança, estabilidade, funcionalidade e atualizações constantes para o bom exercício das operações da empresa.

E para melhorar o desempenho da equipe e ter em mãos relatórios precisos sobre os resultados da organização, os indicadores de performance ou KPIs (Key Performance Indicator) são importantes ferramentas no processo de decisão e gestão.

Os KPIs levam a reports mais apurados e ampliam a visão dos gestores de TI a respeito dos setores. Mas o que são Indicadores de performance? Por que são importantes? Quais os principais KPIs que podem ajudar a medir o desempenho da equipe? Fique atento e acompanhe nosso post!

O que são indicadores de performance

Empresas são movidas por objetivos e metas, afinal, é preciso ter um propósito de funcionamento para se destacar no mercado. E para medir se realmente o nível de desempenho está dentro do que foi planejado, eis que surgem os indicadores-chave ou  KPIs.

Os indicadores de performance auxiliam os gestores a medir o sucesso da organização por meio de uma análise sistemática dos objetivos, seja parciais ou gerais. Assim, é possível verificar se os negócios estão no caminho certo ou não.

Os KPIs são focados em avaliar como as tarefas são realizadas, medindo o desempenho e se estão conseguindo atingir os objetivos propostos. Vale destacar que os indicadores de performance devem ser quantificáveis por meio de um índice (normalmente representado por um número) que possa retratar o andamento dos processos em parte ou como um todo.

Por que os KPIs são tão importantes na gestão

A partir do uso de indicadores de performance, os gestores conseguem acompanhar os resultados dos departamentos de trabalho, estabelecer esforços para o cumprimento das metas, a correção de erros e a maximização dos recursos disponíveis.

Leve como regra que indicadores de desempenho são ferramentas de apoio a gestão no processo de avaliação, medição e monitoramento do desempenho organizacional. Ou seja, instrumentos fundamentais para facilitar a tomada de decisões estratégicas acertadas.

Os KPIs também servem como uma forma de comunicação entre o corpo de gestores de uma empresa e seus liderados, agindo de forma contínua para o alcance do desempenho de um processo ao longo de um período.

A construção de um KPI está estruturada primordialmente na definição da meta. É preciso saber aonde se quer chegar e quais são os passos necessários para atingir esse objetivo.

Não são raros os casos de gestores que investem grandes esforços em atividades que não são relevantes ao core business da empresa. E esse erro acaba impactando nos indicadores de performance, distanciando cada vez mais dos objetivos estratégicos da organização.

Exemplos de indicadores de performance no setor de TI

Cada área possui particularidades e, por isso, exige metas específicas. Portanto, é natural que, ao escolher determinado KPI, o gestor avalie o que realmente espera alcançar e quais informações deseja extrair dos indicadores de desempenho.

Pensando em facilitar todo esse processo, levantamos alguns exemplos de indicadores-chave de performance da área de TI. Acompanhe:

1. Indicadores de capacidade

Os Indicadores de capacidade medem a capacidade de resposta de um processo quanto à quantidade produzida por unidade de tempo. Via de regra, esse indicador não atua isolado, ou seja, bons índices de produtividade e qualidade resultam em informações que levam o gestor a verificar o potencial competitivo da organização.

No entanto, bons índices de qualidade e produtividade não são, por si só, suficientes para garantir uma boa fatia de mercado. A empresa precisa ter capacidade para atender seus clientes em curto, médio ou longo prazo.

Entre os exemplos de Indicadores de Desempenho, se destacam:

  • número de peças produzidas por hora;
  • número de atendimentos realizados por mês;
  • número de clientes visitados em determinado período.

2. Indicadores de produtividade

Os indicadores de produtividade fornecem uma avaliação e quantificação quanto aos esforços empregados em relação aos produtos/serviços gerados. É importante destacar que o ideal é sempre utilizar esse indicador conjuntamente com os indicadores de qualidade, criando uma avaliação completa para o crescimento e desenvolvimento da organização.

Outro ponto importante sobre os indicadores de produtividade é que eles são ligados à eficiência, ou seja, fazer da melhor maneira otimizando ao máximo os recursos disponíveis.

Por exemplo, digamos que um operário de uma fábrica de tijolos consegue produzir 100 peças por dia em uma hora de trabalho, enquanto outro produz apenas 70 peças, de igual dificuldade e no mesmo tempo. Isso significa que o primeiro é mais produtivo que o segundo.

3. Indicadores de qualidade

Esse indicador evidencia a relação entre tudo que foi produzido e as saídas realizadas sem nenhum defeito ou conformidade. De maneira geral, os indicadores de qualidade medem como o produto/serviço chega ao cliente e qual seu grau de satisfação. É também referente à capacidade do processo de atender às exigências produtivas.

Em geral os indicadores de qualidade podem seguir dois caminhos:

  • o que deixou de ser produzido ou foi mal feito: não qualidade;
  • o que foi feito corretamente: qualidade.

Tais análises podem ser aplicadas, por exemplo:

  • na relação de número de problemas solucionados versus total de problemas identificados;
  • número de peças defeituosas versus número de peças corrigidas.

4. Indicadores entregas/prazos

Embora muitas vezes esse indicador seja deixado de lado, identificar o percentual de entregas realizadas dentro do prazo possibilita ao gestor conhecer o atendimento ao cliente e se a empresa está conseguindo cumprir com os prazos.

Avaliando a quantidade de entregas realizadas dentro de determinado período (semana, mês, quinzena, por exemplo), o gestor poderá definir a capacidade real que seu negócio tem de produzir. Assim, é possível dimensionar projetos e processos de acordo com os recursos de que a empresa dispõe e avaliar o desempenho da organização.

5. Indicadores de erros/processos

É fundamental verificar a quantidade de vezes que determinada tarefa não foi concluída ou, por vezes, não chegou a ser iniciada. Ao utilizar o indicar de erros por processos, o gestor passa a avaliar o número de inconformidades ao longo de cada etapa do projeto inicialmente elaborado e a identificar o que precisa ser ajustado e como realizá-lo.

Não são raras as vezes em que gestores desconsideram os percentuais de erros nos processos ao realizar as análises. No entanto, não medir o que levou determinada tarefa a não ser concluída inviabiliza que ações possam ser colocadas em prática para a melhoria dos processos.

6. Indicadores de eficiência

Os indicadores de eficiência estão relacionados aos recursos utilizados para atender às necessidades da empresa (setores internos e suas relações) e clientes (satisfação). Em geral, são indicadores que têm reflexo indireto nos clientes e normalmente se relacionam a produtividade, otimização de recursos, redução de custos e redução de desperdícios.

Além disso, ao medir a eficiência dos processos, o gestor pode identificar desperdícios desnecessários e realizar cortes apropriados, sem afetar a qualidade e o bem-estar dos funcionários.

7. Indicadores de eficácia

Os indicadores de eficácia estão relacionados ao monitoramento das atividades desempenhadas nos setores das empresas e na satisfação dos clientes. É importante considerar que esse indicador tem impacto direto na relação da empresa com os clientes, e normalmente se relaciona com a satisfação, pontualidade na entrega, confiabilidade, atendimento, entre outros.

Um bom exemplo disso é quando a empresa vende um produto que atende às expectativas do cliente, mas ao levar para casa ele se depara com uma série de dificuldades no seu manuseio e operação. Isso acaba reduzindo a eficiência do que foi ofertado.

Nosso post foi útil? Sua empresa utiliza algum dos exemplos de KPIs citados acima? Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas novidades!

Notícias relacionadas:

Nenhum comentário | Comente

 

Os comentários estão encerrados.