VALID Certificadora
02\12\2016

Entenda como gerir os impactos da carga tributária do país

Entenda como gerir os impactos da carga tributária do país

Qualquer empresa, independentemente do seu ramo de atuação, precisa ter uma boa gestão de tributos para viabilizar a redução de custos. Afinal, é preciso gastar o mínimo possível e ter o máximo de recursos para investir bem e ser competitiva no mercado.

Sendo assim, é necessário contar com profissionais qualificados para lidar com a questão tributária, gerindo os impactos que costumam fazer mal às empresas brasileiras. Essa gestão pode ser realizada a partir de algumas ações que, estruturadas, fazem com que os resultados do empreendimento sejam significativamente mais satisfatórios.

Quer saber mais? Então acompanhe este post até o final:

O que é carga tributária

Chamamos de carga tributária toda a variedade de tributos que incide sobre a economia. Por tributos consideramos diferentes tipos de impostos, taxas e contribuições obrigatórias, exigidos pelos 3 entes federativos (municípios, estados e a União) e devidos por indivíduos, empresas e governos.

Uma maneira de avaliar o impacto da coleta de dinheiro realizada pelo governo sobre a sociedade é fazendo a comparação dela com o Produto Interno Bruto (PIB), que considera as riquezas que o país produziu no período de 1 ano. Assim, da relação entre os impostos pagos e o PIB, temos um valor exato para a carga tributária.

De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), atualmente essa carga chega a 33,4% do PIB, transformando o Brasil no país com a maior carga tributária da América Latina e Caribe. Um número significativo, já que isso representa pouco mais do que ⅓ de toda a riqueza produzida pela nação.

Esse impacto da carga tributária afeta tanto indivíduos quanto empresas, sendo um entrave para o desenvolvimento do país, pois faz com que boa parte do dinheiro que as pessoas e as empresas ganha seja repassada para o governo e, muitas vezes, não ser devolvida em forma de benefícios para a população.

Como lidar com a carga tributária

Esta é a grande questão que gestores das mais variadas categorias se esforçam para responder. Entretanto, existe um caminho possível para lidar com essa carga tributária, e ele precisa ser seguido pelas empresas que desejam alcançar sucesso.

Trata-se da gestão tributária. Sem uma gestão tributária eficiente, torna-se praticamente impossível sobreviver diante de tantas complicações.

Para tanto, é preciso primeiramente descobrir a carga tributária real de sua empresa. Isso pode ser feito somando todo o seu faturamento anual e somando todos os tributos que você já pagou. Divida o faturamento pelos tributos e você encontrará a sua carga tributária.

A partir desses dados é possível avaliar se ela está mais alta do que deveria e assim começar a fazer a economia na sua empresa.

O que pode ser feito

Pensando de uma maneira geral, o ideal é estruturar sua empresa a partir de uma análise do empreendimento, permitindo a você antecipar as operações que serão realizadas no período seguinte. A ideia é prever os reflexos financeiros que surgirão em função da carga tributária para ter as ferramentas adequadas para diminuir legalmente os impostos que serão cobrados.

Posteriormente, deve ser realizado um estudo de cada imposto devido pela empresa em função dos possíveis regimes tributários disponíveis, no caso o Simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido.

Essa medida é altamente importante, pois, de acordo com as atividades exercidas por cada empresa, o regime tributário pode oferecer um impacto diferente sobre ela. Sendo assim, um estudo que avalie esse impacto e ajude a escolher o melhor regime pode ser um diferencial na redução dos impostos.

O planejamento tributário

Tudo começa pelo planejamento tributário. Anualmente, você pode fazer ou atualizar seu planejamento considerando as atividades que serão desenvolvidas o ano todo. Assim é possível ter uma noção maior sobre os lucros e as despesas da sua empresa.

O planejamento tributário traz vários benefícios, entre eles a possibilidade de conhecer mais detalhadamente os impostos devidos pela empresa, tornando possível encontrar maneiras de se reduzir o valor das contribuições. Essa prática também oferece maior controle de custos na empresa, permitindo aos gestores avaliarem onde é melhor investir o dinheiro.

Os regimes tributários

Como dito, no Brasil existem 3 regimes tributários dentro dos quais as empresas podem se enquadrar, além de um regime especial. Vamos às principais vantagens de cada um deles em relação a impostos:

Simples Nacional

O Simples é um regime diferenciado, voltado para micro e pequenas empresas com faturamento anual máximo de R$ 3,6 milhões. Apresenta como principal vantagem a simplicidade no pagamento de tributos, uma vez que oferece uma única guia de pagamento que unifica todos os impostos devidos pelas empresas.

Assim, ISS, PIS, COFINS, IRPJ, CSLL, IPI, ICMS e ISS aparecem todos no Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), o que facilita muito a vida de pequenos empreendedores que não precisam lidar com tanta burocracia no pagamento de impostos.

Lucro Real

Em relação aos outros regimes, o Lucro Real é o único que oferece 2 opções de pagamento, podendo ele ser realizado de maneira mensal ou trimestral.

Além disso, no Lucro Real, o PIS e o Cofins dão direito a créditos, que podem reduzir o pagamento desses impostos na modalidade não cumulativa.

Outra vantagem é que a empresa adepta do Lucro Real pode reduzir seus tributos em incentivos fiscais, algo que pode ser útil para reduzir tributos. O governo brasileiro coloca à disposição das empresas uma série de projetos que precisam de apoio para continuar em funcionamento.

Assim, quando uma empresa apoia algum desses projetos, ela recebe benefícios como a redução da carga tributária.

Investir em incentivos fiscais é importante, inclusive para conquistar credibilidade em seu empreendimento, uma vez que você pode associar o nome de sua empresa a um projeto interessante.

Lucro Presumido

A grande vantagem do Lucro Presumido é que, nesse modelo, a pessoa jurídica tem como saber por antecipação qual é o impacto da sua carga tributária. Além disso, a apuração dos tributos é mais simples, pois é feita por meio de percentuais, diferentemente do que acontece no Lucro Real.

Quando uma empresa lucra mais do que a média das outras empresas que executam a mesma atividade, o imposto cobrado é apenas sobre a alíquota prefixada, podendo gerar significativa economia.

Outra vantagem importante é que as alíquotas de PIS e Cofins são menores do que no Lucro Real.

Lucro Arbitrado

Existe ainda um regime especial para casos em que o fisco desclassifica a escrituração contábil da empresa, o chamado Lucro Arbitrado. Não trata-se necessariamente de uma penalidade, uma vez que a própria empresa pode optar por ele.

O Lucro Arbitrado pode reduzir a carga tributária em relação ao Lucro Real. Em comparação com o Lucro Presumido, a carga é a mesma em termos de PIS, Cofins e CSLL, havendo um acréscimo de 20% no Imposto de Renda.

E você, tem pensado em soluções para lidar com a carga tributária em sua empresa? Deixe seu comentário.

O quanto este post foi útil para você?

Clique nas estrelas para avaliar!

Nota Média / 5. Contagem de Votos

Você achou este post útil...

Siga-nos nas redes sociais

Que pena que você não gostou.

Ajude-nos a melhorar o conteúdo do blog

Nenhum comentário | Comente

 

Os comentários estão encerrados.